Doenças do nariz e seios paranasais

Rinossinusites

As rinossinusites são definidas como uma inflamação no nariz e seios da face. Caracterizam-se pela presença de obstrução e secreção nasal anterior ou posterior. Outros sintomas são dor e/ou pressão facial (que pode irradiar para os dentes), febre, tosse, redução do olfato.

Os seios da face são espaços aerados no crânio. Devem se manter sem secreção em seu interior. Vários fatores contribuem para a ocorrência de infecção, como por exemplo mau funcionamento das células da mucosa dos seios (células ciliadas), contaminação por microorganismos e alterações nos locais de drenagem dos seios para o nariz (óstios de drenagem).

As rinossinusites são classificadas como agudas (duração inferior a 12 semanas) e crônicas (persistência dos sintomas, duração superior a 12 semanas). A maioria das rinossinusites são virais, com resolução espontânea em até 10 dias. Nestes casos, são indicados apenas medicamentos para alívio dos sintomas.

Se ocorrer piora dos sintomas a partir do 5o dia ou manutenção destes por mais de 10 dias, devemos suspeitar de infecção bacteriana.

Na maioria dos casos agudos, historia clínica e exame físico são suficientes para o diagnóstico.

O exame endoscópico do nariz (videoendoscopia nasossinusal) permite a visualização das secreções com maior sensibilidade, além de mostrar possíveis alterações anatômicas, pólipos, tumores.

A Tomografia computadorizada dos seios da face é o principal exame de imagem para diagnóstico. Não é necessária na maioria dos casos agudos (indicada nas falhas de tratamento, suspeita e doenças associadas). É essencial para o planejamento cirúrgico nos casos crônicos. É importante observar se há alterações no complexo óstio meatal (local de drenagem dos seios para o nariz), alterações anatômicas, quais os seios acometidos e extensão deste acometimento, suspeita de infecção por fungos, presença de tumores.

Nos casos agudos, se a suspeita é viral, como já citado, são necessários apenas medicamentos para aliviar os sintomas. Se a suspeita é de infecção bacteriana, pode ser necessário uso de antibióticos. É muito importante salientar que apenas uma minoria dos pacientes tem infecção bacteriana e que, portanto, o uso de antibióticos é exceção. O uso indiscriminado de antibióticos em infecções virais, além de não ser efetivo, contribui para a resistência bacteriana.

Nas rinossinusites crônicas, o uso de antibióticos tem menor eficácia. Outros medicamentos com corticoides tópicos e orais, lavagem nasal com solução salina podem ser usados como coadjuvantes.

Procedimentos cirúrgicos podem ser necessários para controle dos sintomas nos casos crônicos e para o tratamento de complicações associadas.