Cirurgias do ouvido

Colocação de tubo de ventilação

A principal indicação da colocação de tubo de ventilação é a otite média serosa crônica ou otite média com efusão.

Otite media com efusão é definida pela presença de secreção no ouvido médio sem sinais de infecção aguda.

A presença deste líquido prejudica a vibração da membrana do tímpano e dos ossículos da audição, levando a uma alteração da condução da onda sonora até o ouvido interno (perda auditiva condutiva). Ocorre principalmente em crianças por uma disfunção da tuba auditiva. Esta estrutura comunica o ouvido médio com a nasofaringe, permitindo a drenagem de secreção da orelha média e a equalização da pressão do ouvido com o ambiente. O não funcionamento adequado da tuba auditiva gera uma pressão negativa, o que predispõe ao acumúlo de líquido na orelha média.  Adenoides hipertrofiadas podem obstruir a abertura da tuba auditiva no nariz e ser causa de otite serosa. Podem também funcionar como um reservatório de bactérias para o ouvido. Além disso, a imaturidade do sistema imunológico (de defesa) nesta população também é um fator predisponente.

Outros fatores, como por exemplo síndrome de Down (e outras síndromes), fenda palatina, frequentar creche/escola, tabagismo passivo, refluxo gastroesofágico, também aumentam a incidência de otite serosa.

A otite serosa pode ser transitória, após um quadro de infecção de via aérea superior, por exemplo. Neste caso não será necessária abordagem cirúrgica e espera-se uma resolução dos sinais e sintomas em até 3 meses.  Se o processo é crônico, com duração maior de 3 meses, a colocação de TV deve ser considerada.

A principal indicação deste procedimento ocorre em crianças. Nesta população, a preocupação com a perda auditiva decorrente da otite serosa é maior, pois pode provocar atraso na fala e piora do desempenho escolar.

O diagnóstico é feito com exame físico do ouvido (otoscopia revela a presença de líquido no ouvido médio) e confirmado pela impedanciometria, exame que mostra que a vibração da membrana do tímpano está comprometida.

É importante a realização de audiometria para quantificar o grau de perda auditiva e definir pelo tratamento conservador ou cirúrgico.

O procedimento é feito com anestesia geral em crianças. Em adultos pode ser realizada com anestesia local, com ou sem sedação. Com utilização de microscópio, é realizada uma incisão na membrana do tímpano, aspiração cuidadosa da secreção e colocação do tubo de ventilação. Em geral, em crianças maiores de 4 anos, indica-se remoção das adenoides no mesmo ato cirúrgico.

O tubo de ventilação fica em média de 6 a 18 meses. Recomendações quanto à proteção do ouvido para evitar contato com a água devem ser individualizadas.

Leia também