Cirurgias do ouvido

Cirurgia para colocação de Próteses Osteointegradas (BAHA / Bonebridge)

As próteses auditivas osteointegradas mais utilizadas no Brasil são o BAHA, Punto e Bonebridge, todas com o mesmo princípio de funcionamento.

A prótese é presa no osso do crânio. O som captado pela prótese gera um estímulo vibratório, que estimula o osso do crânio e esse estímulo é passado diretamente para a cóclea. Portanto, o estímulo sonoro não passa pelo conduto auditivo externo, membrana timpânica e ossículos até chegar no ouvido interno.

É um dispositivo ideal para alguns casos de surdez de condução bilateral (ver tipos de surdez) permitindo uma audição normal se não há comprometimento do ouvido interno (cóclea).

As principais indicações são as malformações de ouvido externo e ouvido médio – por exemplo quando o conduto auditivo externo não existe ou é muito estreito ou quando há malformação dos ossículos da audição. Essas malformações podem aparecer isoladas ou fazer parte de uma síndrome.

As cirurgias reparadoras dessas alterações eram mais realizadas no passado, muitas vezes com resultado frustrante tanto esteticamente quanto em relação à melhora da audição. Com o surgimento dessas próteses osteointegradas, com resultados auditivos excelentes, as cirurgias reparadoras tiveram sua indicação bastante reduzida.

Também são indicadas quando o paciente portador de surdez condutiva ou mista não pode ou não consegue usar aparelho auditivo convencional, por exemplo devido a uma cirurgia prévia de ouvido.

A cirurgia para colocação do BAHA em crianças pode ser realizada por volta dos 5 anos (quando o osso do crânio já tem uma espessura que permite a colocação da prótese) e é feita em dois tempos. Em adultos, é realizado apenas um procedimento. A anestesia pode ser local ou geral. A incisão e colocação do parafuso é feita na região do crânio posterior e superior à orelha. O paciente pode ser liberado no mesmo dia da cirurgia.

Após a cicatrização, o componente externo da prótese é acoplado ao parafuso implantado no osso. É necessária uma higiene rigorosa ao redor do parafuso pelo risco de infecção.

As principais complicações pós-operatórias são a extrusão do parafuso e a infecção local.

Leia também